Templates da Lua - Rafael Ramos

EU

Este sou EU

Meu perfil

http://twitter.com/fabioggouvea

Prazer (pra todos nós!) Meu nome é Fabio Gouvêa, sou estudante de Arquitetura, nasci em 1988, moro no interior de SP, São José dos Campos.
Desde menor gosto de escrever, aos 14 anos escrevi um livro, já plantei uma árvore, só me falta um filho! Tenho gostos variados, por isso de um blog de variedades, curto muito pensamentos, reflexões e filosofias, por isso às vezes escrevo textos desse sentido.
Não gosto de rótulos e creio que por ter uma personalidade bem forte decidi criar o blog, afinal de contas, sou adepto à livre expressão e a divergência de opiniões. Não, eu não sou o dono da verdade! Mostre-me a sua, e se for capaz, me convença! Ponto de Vista Blog

Top30 Brasil - Vote neste site!

Histórico

    + veja mais

    Votação

    Dê uma nota para meu blog

    Outros Sites

    Ler por RSS

    XML/RSS Feed
    O que é isto?

    Indique este blog!

    Leia este blog no seu celular

    Visitante Número

    Link-nos

    Ponto de vista

    Top30 Brasil - Vote neste site!

    19/07/2010

    Anjos crescem

    Talvez você procure sua vida toda por um anjo. É difícil encontrá-los, eu sei.

    Eu há um tempo, em um lugar muito peculiar encontrei um. Ele tinha os cabelos louros era alvo como deve ser o céu, seus lábios pareciam pintados a aquarela, com um vermelho vivo e de longe me sorriu.

    Não trocamos muitas palavras, mas engatamos um contato que só podia ser coisa dos céus.

    Anjos não têm nome, não tem sexo e são assim mesmo, te deixam por horas, dias e até semanas com sua lembrança. Logicamente, era um anjo e eu não o vi mais. Apesar de jamais ter esquecido de seus olhos, sua pele, seu toque.

     

    Anjo na Ponte Sant'Angelo - Roma (por Bernini)
    foto: Fabio Gouvêa


    Eu não imaginava, jamais, sobre hipótese alguma, que tornando a esse lugar peculiar, estando exatamente no mesmo ponto, latitude e longitude, grau e rumo fosse vir novamente o anjo a me sorrir.

    Anjos crescem, eu pude comprovar! À primeira vista ele estava diferente, eu não o reconheci. Mas ele sim, anjos têm memória de elefante! Mas bastou o primeiro toque, pra eu relembrar toda aquela sensação, que só anjos podem proporcionar.

    Me levou a voar, visitei o céu, onde ele mora. Agora, não lhe perco mais de vista, sei onde o anjo eu posso reencontrar.


    Escrito por Fabio Gouvêa às 18:42
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    21/05/2010

    A Grande diferença

    Apega-se muitas vezes às nomenclaturas que casualmente empregamos às coisas. E Isso tem me levado bastante a refletir.

    A pergunta é: o que importa a forma como você chama?

    O que importa a palavra mãe, se a sua não se presta a esse papel? O que importa a palavra honesto para um político corrupto? De que adianta dizer que é alguma coisa, se na verdade isso não funciona?

    Meu discurso é um tanto quanto persuasivo. Eu só queria expressar que pra mim, os sentimentos não precisam ser quantificados, muito menos as relações deles. Não espero calorosos “eu te amo”, porque palavras são apenas palavras. Não preciso de um símbolo para ter um relacionamento, ou chamá-lo de algo, como queira: namoro, casamento, amizade, compromisso, união, cumplicidade.

    Eu sinto.

    E saberei quando for a hora, sem que precisem me dizer. Se estiver comigo, é porque me quer e isso já basta. Aliás, isso é o que basta. Então, não preciso chamar algo de meu, uma vez, que nada me pertence, nem eu a mim mesmo. E o tempo é capaz de dar nomes à todas as coisas, enquanto a mim, me encarrego de ter essas coisas, enquanto elas quiserem ser minhas. E enquanto assim for, eu vou cuidar muito bem, para que assim elas sejam minhas, mesmo que não sendo...

    “Eu vou cuidar
    Eu cuidarei do seu jantar
    Do céu e do mar, e de você e de mim

     

    Cafe Terrace at Night - Vincent Van Gogh

    O Café é em Arles, na França... E mesmo não sendo o original, e não sendo em Arles, é sempre bom admirar uma peça dessa numa noite gostosa, com alguem que eu não arrisco empregar qualquer tipo de nomenclatura!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 16:44
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    19/05/2010

    Os sentidos

    Eu vejo, logo, contemplo a beleza que revela a forma, os contornos da face que revela-se a mim, e isso é determinante.

    Eu ouço, e essa voz acalenta os meus sentidos mais dormentes, e quero ouvir-te a cada instante, como trovão que acaba com a monotonia, e isso me aguça a imaginação de estar contigo, é determinante.

    Eu cheiro, e identifico cada nota exalada e se dispensar a visão, eu imagino um mundo por trás disso tudo, é muito determinante.

    Eu toco, e quando toco, todos os meus sentidos param como que se quisessem dar licença à sensação de sentir por excelência. Ao tocar, eu toco a mim mesmo, e involuntariamente, sinto simultaneamente aguçar meu paladar, e seria até vulgar descrever o que é sentir seguido do toque, provar cada pedaço, cada sensação. E isso deixa de ser determinante para ser fundamental.

    É Fundamental que meus sentidos estejam dominados e atraídos, sobretudo mais que meu cérebro e eu deixo de pensar se isso é perigoso ou não, se vai doer ou não, então, não existe passado, e não tenho brechas pra pensar em nada, o que era importante antes agora é só detalhe, e em tanto tempo, meu cérebro não se desligava. A minha vida eu comando pelas sensações. O cérebro é idiota demais.

    Sinta a vida! Isso é fundamental


    Escrito por Fabio Gouvêa às 16:15
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    17/05/2010

    Som do Nada

    Tem que ser assim! Tem que valer a pena uma sexta-feira fria, um sábado que começa e termina com alguém que te traga ansiedade. Um domingo inteiro disso.

    É como ouvir o som do nada, num dia ensolarado que o sol veio cumprimentar. É como se o relógio parasse, acabando com toda pluralidade que me cortejou os últimos tempos, é como se eu vivesse de novo a graça de ser a pessoa mais feliz do mundo.

    É ver nos seus olhos, ainda que mareados a profundidade de ser grande, acariciar seus cabelos até você dormir e zelar seu sono simplesmente pelo fato de sua companhia ser a única coisa que eu almeje para um final de domingo frio.

    Não quero correr o risco de não te dizer, se é pra pecar que seja por excesso. Sou honesto comigo, e você...

    Me ensinou várias coisas em tão pouco tempo e eu entrei no seu mundo que é tão mais encantador! Isso não é uma declaração, é um desabafo... é um pedido.

    Vem, te espero agora, porque a vida é lá fora. Pegue sua caneta, vem comigo escrever essa história!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 14:18
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    07/04/2010

    Gramática no Tevere

    Desceu de sua condução esbaforido, logo avistou o Tevere e o segundo contato, após o vento lhe bagunçar os cabelos foi com aquela imagem, que era até então, só real nos livros.

    Os olhos se encheram, era uma emoção que brotava desde os pés e percorria-lhe todo o corpo, sem esquecer parte alguma. Tinha sido assim com o Sena.

    Caminhou um curto espaço e a imensidão de tudo aquilo era tal qual sua solidão, que batia no peito saudade apertada, doía por seus planos terem todos mudado de direção. Mas estava lá, mesmo que não como planejara com outrem.

    Aquele, por sua vez, nesse caso um pronome muito mais que demonstrativo, possessivo, compulsivo, ímpar e até egoísta, nada soube desses planos e talvez nunca saiba.

    Seus pensamentos estavam ligados ao outro, muito mais que só os pensamentos, seus projetos, sentimentos e até sua felicidade. Mas sabia que isso tinha que mudar, já havia se tornado uma fixação, de certa forma uma insanidade consigo e já faziam anos. O plural muda tudo nesse caso.


     

    Foto: Fabio Gouvêa


    Talvez esse tudo nunca mude. E apenas nessa linha, quebrou-se o medo de palavras que são fortes demais para serem ditas.

    Estava condicionado a pensar nele e em todas as suas frases de presente, dado, sem nada em troca. Mas ele lembrava toda vez de “have faith”, que lhe pesava como toneladas.

    E, em primeira pessoa, digo pra ter fé, apesar de não querer dizer isso. Não querer por muitos motivos. Mas se vale, e tudo na vida é válido até os tropeços, lutar pelo que almeja (com armas honestas) vale a pena, porque quanto tudo não valer mais, você saberá que enquanto valia, tentou. E o peso que incidia sobre ti, será um alivio. O Tempo é mestre rei, ainda que no plural.

    Sabe exatamente como é, e como ele se sentira agora, só não imaginava que a história fosse se repetir, mesmo que com outros personagens, que na verdade é uma pena. Tudo dói, principalmente o tempo, que pra ele agora, acaba de começar.  No Tevere, lembrou. Caminhou, limpou as lágrimas que insistiam em descer ao chão, lógico, por conta da gravidade. Os sentimentos, nesse caso, devem ignorados.


    Escrito por Fabio Gouvêa às 16:56
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    16/03/2010

    Sonhos de Papel

    Nem Freud explica essa minha ausência de Inspiração.

     

    Mas talvez Freud tenha explicado sim, que inconsciente significa tudo que reprimimos numa briga funesta com nosso superego. E quando, por algum motivo ou outro, deixamos aberta nossa porta do inconsciente, a Inspiração vem a todo vapor.

     

    A inspiração então, seria nada mais nada menos que tudo aquilo que guardamos no inconsciente.

     

    De repente, meu inconsciente esvaziou

    Me parece, que tudo que era ruim passou

    Meu sepulcro outra vez se fechou

    Quando pra longe os meus medos você levou

     

    Foi sábio dizer que o tempo é diferente

    A paciência talvez tenha sido o caminho mais inteligente

    De joelhos, projeto o rosto contra o céu

    Seriam meus sonhos de papel?

     

    Não, eu sonhei, eu corri, eu esperei.

    Eu pensei, eu esperei, eu esperei

    Eu sonhei, sonhei, sonhei.

    Um dia, do nada, acordei.

     

    A Persitência da Memória - Salvador Dali

     

    Se eu escrevia, é porque sentia. A necessidade jamais foi uma vaidade. Espero, de verdade, que essa ansiedade não volte... Sinto, que agora estou livre, penso que esteja do lado que estive, espero que não te julguem como a mim, escrever às vezes é a melhor forma de aliviar, ainda que não seja a mais indicada.


    Escrito por Fabio Gouvêa às 16:17
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    08/03/2010

    Idade Média

    Acabou o Helenismo! Abram se as cortinas do tempo que mudará a história, mas durará apenas uma noite, se considerarmos que nós somos o ultimo segundo da Humanidade.

    A Idade Média me excita! Eu gosto muito do Renascimento, talvez por ser tentado ao clássico, mas sem ela, Renascer não seria possível.

    Nas ultimas férias decidi estudar afinco esse que considero o Período mais católico da história. Algumas pessoas podem discordar, dizendo que a supremacia católica foi no período Barroco, mas a minha tese é que a Idade Média, por ter durado seu milênio, teve muito mais influência do que o Barroco.

    A Idade Média tem muita expressividade quanto à Arquitetura, Economia, Artes, Política, Tecnologia e eu poderia citar muitos outros tópicos, mas o que me encanta é a Filosofia.

    O Helenismo que antecedeu a Idade Média foi um período de muitas informações no campo da filosofia, várias vertentes surgiram, e que dariam espaço à Idade Média. 

    Na Idade Média então, temos a supremacia cristã, e a Igreja Católica se firmou pela primeira vez no campo da filosofia, que em outrora, era marcada principalmente pelos Gregos.

    É o momento de provas, e eu gosto muito de provas! O período era crucial, a ICAR tinha que provar a fé por uma visão filosófica, em um período em que ela estava sendo testada, a razão era a lei.

    Santo Agostinho cristianizou Platão e São Tomás Aristóteles. Não vou entrar no mérito, mas Agostinho achava que provaria algo com a fé, e Tomás por sua vez, acreditava que a razão deveria estar acima da fé.

    E esse dilema perdurou-se e hoje eu ainda me pergunto. Seriam as idéias cruciais? Seria a razão mestre-mãe? Ou talvez, sejamos regidos por uma “mente cósmica” como posteriormente viria Berkeley declarar?

    Somos uma briga cósmica de razão, emoção e idéias e ao mesmo tempo podemos não ser nada, um mero pensamento, talvez sejamos apenas uma metaficção. Somos deuses de nós mesmos, mas não sabemos tomar decisões. Somos fortes o bastante, mas por vezes entramos na contramão. Eu sou meu, eu sou teu, sou de um milhão.

    Porque ser é estar, mesmo nesse turbilhão, de repente nada mudou.


    Escrito por Fabio Gouvêa às 09:01
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    07/01/2010

    Ajude São Luiz do Paraitinga!

     

    Famosa por seu carnaval de marchinhas, por seu Patrimônio Histórico, e sua calorosa recepção aos foliões, São Luiz do Paraitinga foi devastada  pela enchente na virada do ano.

     

    A cidade que nos recebe de braços abertos no carnaval, e muito mais do que isso, que nos abraça, agora precisa de nossa ajuda.

     

    Conhecida internacionalmente, já foi manchete no New York Times, um dos melhores destinos carnavalescos de marchinha, ficando atrás apenas de Olinda, a nossa querida São Luiz hoje pede sua ajuda.

     

    São Luiz é hospitaleira, é lúdica e acima de tudo, simpática, cidade do médico Oswaldo Cruz, cidade dos estudantes de Arquitetura, nos encanta a cada ano com seus temas no EREA

     

    Efetivamente, você pode ajudar através de doações, vale lembrar que é importante procurar um dos Pontos Oficiais

     

     

     

    Você pode ainda, divulgar a Campanha Oficial, pode abusar de sua criatividade, inventar novas campanhas, formas de ajudar, todo esforço é bem vindo!

     

    Eu, que conheço São Luiz, que tem o maior complexo de Patrimônio Tombado no Estado de São Paulo, já fui folião, já fui abraçado pelo EREA, hoje estou na condição de ajudante. Vamos reerguer a cidade!

     

    Nós, estudantes de Arquitetura e Urbanismo, estamos nos unindo (idealizadores: @CharlieNoAngel, @fabioggouvea) para esse próximo final de semana ir à cidade acompanhar os estudos de Restauração do Patrimônio Histórico, levar doações arrecadadas e ajudar com serviço braçal, limpando a cidade, com aquilo que nós temos: força de vontade e coragem.

     

    Você que tem coragem, entre nessa, procure como ajudar, a cidade precisa de todos agora. Ela que nos recebe o ano todo, agora chegou a vez de retribuir. “Nem todo carnaval tem seu fim” e nós vamos provar isso.


    Escrito por Fabio Gouvêa às 10:48
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    19/08/2009

    Mídia

    Caríssimos Leitores.

     

    Eu tenho evitado escrever sobre o que anda rolando na mídia, porque eu acho que as informações estão repetidas demais pra eu vincular mais isso aqui nesse espaço.

     

    Mas hoje eu decidi falar da própria mídia.

     

    Os meios de comunicação hoje são infinitos e estão incorporados em tudo que fazemos. Desde o trânsito até o seu momento de descanso.

     

    Eu me pergunto onde está o comprometimento com a notícia, com a informação em geral? Porque hoje parece que não se formam mais Jornalistas, e sim somente publicitários. Falar de mídia não é somente falar de publicidade, ainda que ela seja a maior carga.

     

    Se ligamos a televisão, nos deparamos com guerras frias entre emissoras. No rádio, se queremos ouvir uma boa música, somos obrigados a esperar longos e intermináveis quadros de propagandas, eu assino uma revista que metade das páginas são propagandas!

     

     

     

    Eu gostaria que a informação fosse limpa e sóbria, invés de ataques de publicidade e sensacionalismo. Os jornais funcionam para promover emissoras, a noticia foi banalizada.

     

    Recorremos a blogs, microblogs, miniblogs, onde a notícia vem de anônimos, pois as grandes redes não estão mais afim de noticiar. E o Ibope?

     

    A maior rede de televisão brasileira há muito tempo deixou de ser um veículo de comunicação para ser um veículo de manipulação. O engraçado é que agente sempre cai na deles! A Política, a economia, a informação a nossa vida em geral é manipulada e encaminhada conforme os Plin Plins comerciais.

     

    Eu quero minhas perguntas respondidas, não quero ser ludibriado pela mídia.

     

    O Quê?

    Quem?

    Onde?

    Quando?

    Por quê?

    Como?


    Escrito por Fabio Gouvêa às 09:51
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    05/08/2009

    Escolha meu defeito.

     

    Não sei se é interessante ler coisas sobre a minha vida, de qualquer forma, estou em OFF para utilidade pública!

     

    Hoje eu gostaria de compartilhar com vocês um artista e uma música dele que eu gosto muito. Jay Vaquer não é muito conhecido, tem um estilo de música independente e meio alternativo.

     

    Pois eu gosto muito! O legal é que ele escreve sobre cotidiano, e de repente você se encontra em muitas das músicas dele.

     

    Me lembro de ter sido um cara muito preocupado com a opinião pública, a imagem, quem eu sou pra sociedade, tenho que manter a boa conduta. Os olhos da sociedade são caçadores vampiros esperando você entrar em um beco e rir da sua cara dizendo que ali não tem saída.

     

    Depois de rir, eles vão sugar de você aquilo que é bom, e te jogar em praça pública para que te apedrejem por não ser um exemplo de boa conduta. Mas eu estou me lixando para a opinião dessa sociedade moralista de um lado, que esconde a face hipócrita que carrega do outro.

     

    Eu já quis me defender, já tentei mostrar que eu sou um bom cara. Mas eu devia ter me poupado desse esforço, por favor, “tenho a idade que eu quiser”! Quer saber mais? Eu não sou mesmo exemplo de nada e nem sou um bom cara!

     

    Não espere nada de mim, pois sou um humano desprovido de compromissos e extremamente desencanado de cobranças, não devo nada a ninguém da mesma forma que não cobro a ninguém. Se preciso de ajuda? Ok... me fizeram rir.

     

    Pois a vida é mesmo uma piada, e rir da cara de algumas pessoas é bem divertido! Entretanto, eu jamais me esqueci de lembrar que “O chão que EU piso é o mesmo que ME apóia”. Eu não sou sarcástico por rir de alguém, se acham que deve, podem rir de mim! Cada um com sua comédia preferida.

     

    Jay Vaquer é foda, e toda vez que ouço tenho sentimentos libertários!

     

    Essa música faz todo sentido!

     

     Letra


    Escrito por Fabio Gouvêa às 10:21
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    30/07/2009

    Tudo que é diferente se parece.

     

    Minha memória é falha, pensam que eu fui drogado e os tóxicos me levaram a capacidade de guardar.

     

    Acho que meu problema é falta de atenção. Não que eu não dê valor aos fatos, ou importância à eles mas o fato em questão é que eu não costumo guardar coisas, nomes, lugares e etc.

     

    Às vezes isso é ruim, outras nem tanto. Me pego com raiva de mim mesmo, por não lembrar das coisas, faço um esforço danado pra lembrar de um dia especial, algum momento com alguém, é ruim ser alguém com “vaga lembrança”.

     

    Mas como ia dizendo no título, “tudo que é diferente se parece”, isso pode parecer contraditório, mas no fundo no fundo, uma coisa muito diferente da outra tem sérias chances de ter algo em comum, nem que seja apenas a contrariedade.

     

     

    De repente eu estou em um mesmo lugar, e minhas vagas lembranças começam a brotar. Seria talvez um Dejavu? Não! É o mesmo lugar, em um tempo distinto onde tudo era diferente mas tudo me lembrava, tudo era parecido.

     

    Eu não gosto de lembrar, mas gosto de reconstituir, mas algo me diz que nada mudou. Eu reconheço esse sorriso, esse olhar, é uma releitura de tudo. Em outra pessoa, em outro mundo mas que eu gosto tanto quanto.

     

    Eu não sou bom de memória, mas não sou tão péssimo assim ao ponto de não reconhecer a forma, o jeito. Minhas lembranças podem não ser as melhores, mas doido eu não sou!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 10:01
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    23/07/2009

    Reencarnação

     

    Olá queridos leitores! Apesar de se tratar de um assunto sério, hoje eu vou postar um vídeo cômico!!

     

    Michael Jackson reencarnou em uma criança - versão feminina. Sempre desconfiei dela, vejam:

     

     

     

    Não é que ela mandou bem mesmo?!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 13:48
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    22/07/2009

    Tudo Cai

    Tudo Cai.

     

    Olá pessoal! Estamos de volta!

     

     

    Pensei muito sobre o que postar hoje, e decidi fazer algo bem pessoal, sei que o blog não é um diário, mas a pessoa que vos fala também vive!

    Estive fora, sem muito tempo, organizando a vida pessoal. Dei uma geral violenta mesmo, revi conceitos, aproveitei para estudar, na verdade foi um tempo de crescimento e de mudanças.

    Eu não gosto muito de tornar públicos acontecimentos e realizações pessoais, mas eu estou tão contente, que hoje eu quero contar!

    Me enclausurei de tudo aquilo que pudesse ser maléfico, de tudo que viesse a me aborrecer, e com muitas coisas fiz como uma criança birrenta, que olha, torce o nariz e logo depois já não lembra.

    Conheci novos amigos, viajei muito, fiz coisas novas, descobertas, descobri que tudo cai.

    E é sobre isso que eu gostaria de falar hoje, se me permitem.

    É extremamente absurdo que nos apeguemos às coisas que nos fazem cair, passado é uma coisa que não volta – pessoas sábias já haviam tentado me ensinar isso. Parei de pensar que eu poderia ter feito escolhas diferentes, que poderia ter ido em frente com os MEUS sonhos de ir estudar em um curso público. Na verdade, eu deixei muitos projetos meus de lado, por deixar a minha vontade também.

    Devaneios rondaram minha cabeça, e então percebi que apesar de ter projetado meu futuro de uma forma, eu estava executando de outra. Nessa hora entrou meu plano de ação, decidi que eu iria além. Ocupei minha cabeça de formas distintas.

    Alguns números que me faziam mal foram simplesmente apagados da agenda, alguns deles ainda me procuraram e eu achei que se importavam, decidi manter.

    Fui cuidar da minha saúde, e vi que eu realmente não gosto de academia, e que deveria mesmo deixar essa estúpida idéia de lado. Por outro lado, descobri em mim (algo que estava adormecido) um talento com as piscinas e passei a me dedicar. O resultado foi rápido e consegui ganhar os kg’s que eu tanto buscava! Ganhei alguns músculos e com isso alguma admiração alheia, mas a maior delas e mais importante foi a minha própria.

    Bom, acho que está ficando extenso, vou resumir ao máximo, porque eu de fato quero compartilhar essa volta ao blog.

    Tratei de aperfeiçoar idiomas, inglês nunca foi meu predileto, mas é necessário. Aprendi um pouco de Francês e algo de Espanhol.

    Tive espasmos estranhos de perca de memória, mas eu de fato nunca fui alguém muito atento, não liguei pra isso. Tratei de fazer o que talvez seja o meu maior acompanhamento médico até agora. E decidi que agora eu não quero saber de cuidar meu pequeno grande problema do coração e do estômago.

     

    Contraí uma gastrite por ansiedade demais, foi até engraçado!

    Sobretudo aprendi muito. Talvez seja piegas dizer que cresci, senão, utópico. Mas não me reconheço a mesma pessoa que em outrora escrevia aqui.

    Decidi mandar um abraço pra quem não me quer bem, ou àqueles que turvam minha imagem, mas eu achei que seria melhor não tentar mais me explicar em tudo. Um abraço, me desculpa se não agrado, mas eu sou assim.

    Hoje estou mais seletivo, e não é tudo que chega a mim, não é simplesmente qualquer um que pode ser meu amigo, tem que fazer por merecer, eu dou um duro danado pra ser quem eu sou!

    Acho que terei que me desculpar novamente porque ta ficando grande pra c******

    Tratei de ser prestativo, ser inteligente, fazer a diferença e ser diferente.

    Enfim, consegui realizar tudo aquilo que planejei para esse semestre.

    Contrário do início da minha faculdade, meio conturbado, consegui fechar tudo muito bem, e ainda ajudar os meus colegas. Ganhei a confiança de muitos deles e sou ternamente grato.

    Setembro vou realizar o sonho da minha vida que é conhecer Paris. Vou estudar alguns dias em Amsterdã, vai ser muito bom pro meu crescimento profissional, e depois farei uma extensão pela França e Itália.

    Concebi um roteiro para conhecer Paris, e achei que nada melhor do que estar em sintonia com a cidade da luz. Em Paris eu não quero saber de metrô, carro, nada disso. Vou conhecer a cidade toda de Bicicleta, pra quem sabe sentir o que Che Guevara sentiu ao conhecer a América.

    Sentir, sentir e sentir.

    Minha intenção é descarregar as energias. Depois de conhecer o maior museu do mundo, o Louvre, eu quero deixar o meu museu por lá, e já preparei uma caixinha com coisas minhas que eu quero apenas lembrar. Vou jogá-las no Rio Sena, e dessas restarão apenas memórias. Achei que eu guardei coisas demais até hoje, e tenho que dar espaço a coisas novas.

    Enfim

     

    Decidi voltar ao Blog e contar-lhes um segredo que aprendi nesse tempo. (na verdade foi a minha maior intenção desde a criação desse blog, mas eu acho que posso contar agora!)

     

    Pesquise sobre perspectiva, veja a definição para a palavra.

     

    Sem um Ponto de Vista, não existe Ponto de Fuga e sem um Ponto de Fuga não existe Perspectiva. Isso é desenho! Isso é real!

     

    Esse blog foi pra mim, um Ponto de Fuga, se pensaram ser um Ponto de vista se enganaram, mas com ele eu criei diversas Perspectivas que agora estou pintando.

     

    E quero que saibam que a única verdade absoluta é que tudo é relativo. FATO

     

    Foque sua visão, ache um ponto de fuga e corra desenhar sua pespectiva. Projete-se

     

    E que venham novos tempos!

     

     

    Ps.: Achei que a fonte antiga do Blog era juvenil demais, nova cara, algo mais sóbrio é o que vai combinar!

     

     


    Escrito por Fabio Gouvêa às 09:46
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    23/03/2009

    1 ano!

    Dia de Festa!

     

    Ontem o Blog completou 1 ano!

     

    * Farei apenas algumas postagens pra terminar a série de contos (parte 1 , parte 2), que eu havia começado, e por falta de tempo (ta bem corrido mesmo) eu não consegui dar seqüência. Estou levantando dados para prosseguir com a série, aguardem as próximas postagens!!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 16:25
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    20/03/2009

    Estações

    Trocando as Estações

     

    “Tu te tornas eternamente responsável pelo que cativas"

     

    Eu gosto do Outono, não mais do que o verão, mas aprendi a esperar e a ter paciência. Eu não vou conseguir mudar o ciclo para que o verão volte antes de outras estações. Já ouvi “Não misture as estações” e essa é a mais pura realidade.

    Já vivi um Outono perfeito, porque então me apegar ao verão? Quem sabe esse Outono não pode ser perfeito também?

     

    São apenas hipóteses, não quero reviver nenhuma estação, eu quero apenas tornar cada nova estação um pouco mais especial do que aquela que já passei. A paciência é uma virtude. Eu já estive errado em muitas coisas, mas tenho certeza plena daquilo que vivi naquele Outono passado, sei que foi bem rápido e logo houve o Inverno, mas nada que a Primavera não tivesse florescido e que depois o Verão não viesse acalentar.

     

    Todavia eu sabia que quando naquela outra estação me disseram da dependência, sobretudo a física estavam errados, eu tinha plena certeza disso, talvez esse fosse o pior absurdo com o qual me deparei, e de fato eu tentei enxergar essa dependência com as estações. Mas que bom saber que não era mesmo, ou não! Sei lá, o fato é que eu gosto mesmo de verão, não vou negar!

     

    Eu sei que o maior medo do Outono é o Inverno que você vai passar, porque esse fato é iminente, mas eu não me preocupo mais, eu espero, sem pressa, eu até entendo hoje! O carinho que eu nutria pelo verão é o mesmo, eu só não fico na expectativa que ele volte logo, porque sei que não cabe a mim mudar as estações, apenas, espero, sorrateiro, calmo, leve, porque quando chegar o verão, eu vou viver intensamente!

     

    Aprender com a paciência é bom! A humildade é uma das maiores virtudes, eu cresci, eu vivi e eu mesmo comprovei, não posso mudar o ciclo, tenho que viver a estação!

    Esperar não é tão ruim assim!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 11:43
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    13/03/2009

    Ringue de Jesus!

    Ringue de Jesus!

     

    E Jesus Cristo disse: “se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra” e parece que eles levaram realmente ao pé da letra!

     

    Vou situar a vocês: A Igreja “Renascer em Cristo” promoveu, organizou, sei lá como se dá o nome disso!! Mas enfim, a igreja abrigou um campeonato de Vale Tudo com o intuito de atrair os jovens.

     

    Como se não bastasse os bispos fugindo do país com rios de dinheiro, o teto que cai literalmente sobra a cabeça dos fieis (dizem que no momento da pregação o pastor disse “que o teto caia sobre a minha cabeça se eu estiver mentindo”), brincadeiras à parte!

     

    Uma igreja que quer obrigar crianças a parir, a outra que quer promover luta livre pra atrair.

     

    Uma igreja milenar, a outra, nem saiu das fraldas.

     

     

    Acredito que deve ser humilhante pra quem estiver de lá de cima vendo tudo isso. Não levanto bandeiras em nome de nenhuma congregação, não estufo o peito carregando placas de nenhuma denominação, sabe por quê? Pelo simples fato de achar que não devo me emporcalhar com tudo isso.

     

    Na casa de Deus é lugar de ringue por acaso? De forma alguma, só alguns 3 ou 4 rounds. Mas fica alerta: não se pode beber ou fumar. Era o cúmulo se fosse liberado não é?! Eu nem perderia meu tempo procurando bares sábado à noite, pois veja só se Deus não ficaria contente: eu estaria me divertindo na casa dele, bebendo, fumando, vendo uma luta livre (que deve ser muito legal), tudo isso, por Deus e com meus irmãos em sua casa!

     

    Não fica até coerente demais? Acho que os anjos devem se depenar no céu, é por isso que todo mundo quer ir prá lá, foi daí que sai a denominação Peso Pena!

     

    Eu não tenho mais paciência! Eu acredito em Deus, mas não venha com seu liquidificador querendo me sugar pra carregar sua bandeira de igrejinha, por favor! Eu com meus pecados sou muito menos hipócrita do que esses que enchem a boca pra julgar os outros. Eu tenho a minha fé independente do nome, independente de como professo isso. Independente mais ainda, do que qualquer pessoa no mundo possa achar certo ou errado.

     

    Enfim, é cada absurdo que agente fica pasmo, é uma atrás da outra! Se bem que, pegar um ‘irmão’ que agente não vai muito com a cara, e em nome de Deus levá-lo ao ringue pra ver se atrai fiéis e arrebentar com o sujeito não seria má idéia. O problema é se a moda pega... Quem vai pagar o dízimo??

     

    Matéria na folha de Sâo Paulo CLIQUE AQUI


    Escrito por Fabio Gouvêa às 15:04
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    10/03/2009

    Nao comungo disso

    Excomungue-me também, não quero comer desse pão

     

    Indigna-me dizer que faço parte de uma igreja que quer obrigar uma criança de 9 anos (1,30m de altura) a ter gêmeos frutos de uma violência feita por seu padrasto.

    È hediondo uma Igreja tão anacrônica praticar atos tão ridículos em nome de Deus. Quem foi que disse que a inquisição acabou?

     

    Se por um lado não acabou, por outro, eu como fiel peço então à Madre Santa que venda à essa família indulgências, para que passa limpar-lhes seus pecados, onde é mesmo o caixa? Onde estará agora Alberto de Mogúncia arrecadando as indulgências afim de reformar a Basílica de São Pedro?

     

    Esqueci-me que acobertaram de mármore a maior igreja do mundo, com pinturas de artistas famosos, esculturas caríssimas, sem contar com todas as outras superfluidades que contém lá, pra que querem mais dinheiro?!

     

    Chega! Não vamos mais manchar o nome da bucólica vida de 2.000 anos da Madre Santa! A Idade Média já se encarregou de enxovalhar o quanto pôde, agora é hora de bancar a moralista perfeição ou a pecadora arrependida, mas que tem o direito de mudar.

     

    Chega mesmo! Vamos criar novos pecados capitais, mas eximam o Santo Padre, pois ele gosta de usar Prada com grandes cordões de ouro maciço e anéis carregados de pedras! Enquanto isso, dizemos aos fiéis que é pecado a ganância!

     

    Mas que disparate!

     

    Qual é o homem que pode quebrar a ligação de um filho com um pai? Qual é mesmo o poder de um homem desligar na terra o direito de ter comunhão com Deus uma família que teve que escolher entre a filha ou as vidas fruto de um estupro? Ou ainda mais, trocar a vida das três crianças por possibilidades, hipóteses, chances quase mínimas de sobrevivência de alguma parte delas?

     

    E eu digo que comungo de tudo isso? Que concordo com essa postura cega, errônea e totalmente intolerante? Onde ficam os Padres que abusam de crianças? Fale baixo! Alguém pode ouvir, não podemos manchar a igreja, coloquemos o padre herege escondido em um canto, ninguém irá saber de nada.

     

    Ah, como é arriscada essa postura! Esquecer que a Igreja tem grandes cúpulas com tetos de vidro, mas uma hora toda essa bomba pode explodir.

     

    Assumo o perigo de contestar a tudo isso, assumo o risco, ainda que sem armas tão poderosas para lutar, todavia quem há de ser contra meus pensamentos? Lembro-me de ler sobre “livre arbítrio”, e não existiam punições tão severas quando Deus era amor.

     

    Agora que Deus se tornou “figura” e que essa deve ser sobretudo respeitada e não vivida, eu grito em tom de súplica: Excomungue-me também, não quero comer desse pão! Não participarei dessa ceia, eu não concordo com essa barbárie.

     

    Pode parecer algum tipo de contestador rebelde, mas não estou rebelando uma guerra contra a Igreja, muito menos querendo criar adeptos à minha opinião.

     

    Essa é a minha indignação, e como tudo isso está aquém dos meus conceitos, eximo-me de toda essa culpa e prefiro ficar de fora dessa vergonha. Se é que existe um Deus, ele sabe que não fui culpado pela morte das crianças, a mãe delas também não o foi, e a avó o mesmo, assim como os médicos.

     

    Se alguém de toda essa história merece o julgamento justo da parte de Deus ou da Igreja, esse alguém é o padrasto dessa menina que a violentava desde os 6 anos de idade. Mas ele? A igreja deu o perdão, ora, existem crimes horríveis, mas apesar de tudo ele merece uma segunda chance, pois não atentou contra a vida.

     

    Não?

     

    Não, não, não... repugno a tudo isso, e mais uma vez volto a dizer, para que existam testemunhas que não participei, não apoio e não comungo dessa infâmia, tirem-me desse bando quando for julgar a todos.

     

    Excomunguem-me, por favor, não faço parte desse indecoro.


    Escrito por Fabio Gouvêa às 11:16
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    04/03/2009

    Vitrines

    Vitrines pobres de brinquedos comuns

     

    Eu procurava sem querer achar.

    Pode parecer hipócrita, mas foi assim a busca

    Eram como grandes prateleiras

    Ou talvez, a melhor definição seja Grandes Vitrines

     

    Estavam todos lá: suas definições, preços e funções

    Muitos dos brinquedos eram interessantes

    Alguns eram só bonitos, mas sem conteúdo

    Estava ficando enjoado, aquele lugar era maçante

     

    Então ao longe avistei o que eu procurava

    Quem sabe eu quisesse mesmo achar

    Mas não foi bom, senti pena, senti asco

    Estava frio em seu lugar, estático, sem ar

     

    Era o que eu queria, eu sabia que não podia

    Sua descrição parecia boa, contudo, mergulhado no vazio

    Olhei algumas vezes, inconformado.

    Estava lá, pra quem quisesse, exceto a mim.

     

     

    Era estranho eu não poder levar

    Qualquer outro poderia tirá-lo da prateleira

    Não que fosse alto demais pra alcançar

    Eu queria poder brincar, mas não podia

     

    Era triste ver tão de perto, tão exposto

    Tão fácil que parecia frágil

    Mas eu não podia pegar

    Eu não pude nem ao menos chegar

     

    Estava inconformado, era injusto.

    Lancei a mão sobre o bolso, tinham algumas moedas

    Mas não valia o preço, não valia o esforço

    Decidi não levar, não pensar

     

    Guardei as moedas, as lembranças e aquela visão

    Era um brinquedo legal, mas ficou comum

    Qualquer um podia tirá-lo da prateleira, da vitrine

    Foi isso que me tirou o desejo, a vontade de tê-lo

     

    Era bonito, era legal e parecia bom

    Mas o fato de qualquer um poder levar...

    Me deu a sensação que não valia tanto.

    Guardei tudo, fui embora e pensei:

    - quem sabe um dia perca o encanto


    Escrito por Fabio Gouvêa às 13:22
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    20/02/2009

    Carnaval e FIM

    Carnaval e FIM!

     

    Chega então o feriado brasileiro mais badalado do país: Carnaval!

     

    A todos muito juízo! Muita curtição, folia, festas, bebedeiras, zueiras, mas tudo com muita responsa em galera?

     

    Vamos nos jogar, porque carnaval é festa!!

     

    Aí em baixo pra curtirem o que promete ser um novo hit do momento, quem sabe não se torna um grito de carnaval??

     

    Cuidado, cuidado povo de Deus! É uma armadilha de Satanás!!!!!

     

    O hit é de ordem religiosa, mas meu Deus, pede pra ser zuado! Vai virar febre!!

    Atenção!

     

    O Ponto de Vista está com seus dias contados!

    Mês que vem o blog completa um ano, foi um ciclo da minha vida, eu precisava exteriorizar e tornar públicos alguns pontos de vistas meus, e eu sempre fui totalmente adepto à cultura de Blogs.

     

    Ser blogueiro é ser comprometido com a sociedade, com as questões filosóficas, econômicas, sociais e porque não bestiais?!

     

    Mas, como tudo na vida tem seu tempo, minha paixão por essa cultura já passou, na verdade outras questões influenciaram para a criação do Blog e idem ao que se refere o término do mesmo.

     

    Paixão, como já escrevi aqui - e bombou! -  tem um tempo relativo, e é exatamente em torno de um ano, agora não estou afim de nutrir um amor por isso!! Meu projeto com esse blog já tinha alcançado seu objetivo há um tempo, e agora eu preciso dar importância a outras questões. Vocês ficarão com o arquivo até que a página saia fora de ar.

     

    Talvez eu volte a escrever, mas não vai ser pra agora, e também não é uma intenção minha, se ocorrer será por acaso!

     

    Espero que tenham gostado, agradeço a participação de todos que passaram por aqui e deixaram suas marcas e pontos de vistas.

     

    No fim, descobri que não sou mesmo nenhum dono da verdade, por isso, desconsiderem muitas das coisas que talvez não tenham sentido. Entretanto, cultivar o que talvez fosse uma verdade plena pra mim me ajudou muito, e me fez refletir ao mesmo tempo. Nunca deixem de questionar, pois, tolo é aquele que não se dá conta do que acontece no mundo em sua volta ou quem sabe, a volta que dá seu próprio mundo?

     

    Pra terminar, o blog será “alimentado” por cerca de mais um mês até completar seu aniversário.

     

    Obrigado a todos, qual é o seu Ponto de Vista?


    Escrito por Fabio Gouvêa às 13:07
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    13/02/2009

    Meu problema é ser Parascavedecatriafóbico!

     

    Aproveitando o ensejo, vou contar-lhes o porquê de todo esse meu medo de sexta-feira 13!

    Desde que me lembro de sextas 13, eu tenho recordações não muito agradáveis. Sempre fui uma pessoa um tanto quanto azarada. Sabe-se, que acreditam ser o 13 um número de azar.

     

    12 de acordo com a numerologia é considerado um número completo: 12 meses no ano, 12 signos do zodíaco, 12 tribos de Israel, 12 apóstolos de Jesus. 13 por sua vez, é um número irregular. Os templários foram presos a mando de Filipe IV de França, todos no dia 13/10/1307 – sexta-feira – acredita-se então, que a superstição tenha nascido daí.

     

    Jesus cristo ceiou pela ultima vez com doze pessoas, treze com ele. Logo após foi crucificado e Judas se matou.

     

    Temos alem desses, outros fatos que apóiam que o múmero treze nao é legal. Como se nao bastasse toda essa ‘urucubaca’ sobre o número treze, acredita-se também, que Jesus Cristo tenha sido morto em uma sexta feira treze. Entao, junta-se um dia da semana ruim (sexta-feira) e um número (13) macábro, fica entao, um dia sem muitas espectativas boas!

     

    Tive sextas 13 muito ruins, já me roubaram bicicleta, carteira, assaltos. Geralmente sempre com uma intenção em comum, que é a de subtrair algo que eu tenha conquistado ou algo do que eu gostava muito.

     

    Todavia, as ultimas sextas 13 nao me ocasionaram nenhum incidente desconfortável. Acho que não tenho mais passado por debaixo de escadas, também nao vejo mais gatos pretos! Mas devido à essas sucessivas experiências ruins, hoje me tornei uma pessoa mais desapegada, ando na rua mais tranquilamente (embora seja raro me ver andando a pé por aí), não ligo mais em perder as coisas, acho que desencanei mesmo! Perdeu, perdeu!

     

    Mas nao vou perder o foco, hoje é sexta-feira 13, um dia um tanto quanto misterioso, nao vou esconder que sou Parascavedecatriafóbico (quem tem fobia específicamente de sextas-feiras 13), mas eu é que nao vou ficar sexta feira em casa, que o raio parta as coisas ruins! Saí zica!!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 11:19
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    06/02/2009

    Um gato!

    A curiosidade matou o gato.

     

    Posso me classificar como curioso, mas não sabia que eu tinha morrido. A verdade é que desde que me conheço por gente sempre quiseram matar o gato!

     

    Não ta entendendo? Vamos lá! Minha mãe me cantava: “atirei o pau no gato-tô, mas o gato-tô não morreu-reu-reu..”. Mas vou explicar meu ponto de vista para não acharem que sou pretensioso!

     

    Se a curiosidade matou o gato, logo, ele era curioso, se eu sou curioso, logo, eu sou um gato! Acabei de dar um “pulo do gato”!!

     

     

     

     

    Só nunca entendi o porquê de Dona Chica ter ido à polícia. Apenas pelo berro que o gato deu? Na verdade ser gato às vezes traz um pouco de receio na galera, os gatos são esquivos, são espertos, são malandros, inteligentes. Eu próprio nunca gostei de gatos. Mas eu me amo!

     

    Só não acho legal essa perseguição com os gatos, existe a máxima “cão e gato”, mas os gatos não são santinhos, não tem o “gato e rato”?!!

     

    Nunca pense que porque você deu uma “surra de gato morto” você está por cima! Como já disse, e faço questão de frisar, sempre quiseram a morte do gato, contudo, ele é mesmo um bixo de sorte! Ele tem sete vidas, e talvez você só tenha ajudado-o a passar para a 2ª!!

     

    Mas vou terminar o texto, toda essa conversa de felino já deu algumas voltas! Acho que vou tomar um “banho de gato” porque tenho mais algumas coisas pra cuidar dessas minhas próximas vidas, tenho que fazer umas compras, mas tomara que eu “não compre gato por lebre”!!

     

    Ahh, ia me esquecendo, não tente me dar um banho de água fria, pois, “gato escaldado tem medo de água fria”, logo, estou vacinado!

     

    Beijo do gato ;)


    Escrito por Fabio Gouvêa às 10:56
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    02/02/2009

    Como Dizer!

    Depois do fim de semana – muito agitado – nada melhor que irmos de humor, confiram:

     

    Faltaram:

     

    - Cortar o rabo do macaco

    - Matricular o Pelé na natação

     

    Se alguém souber de outras, não hesite em dar sua contribuição!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 15:32
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    28/01/2009

    Se és o Brilho

    Se és o Brilho

    Se realmente você existisse

    E se essa miragem que surpreende meu olhar

    Não fosse apenas uma miragem pra se olhar

    Talvez eu não consentisse

     

    Talvez os talvez não seriam dúvidas

    E eu não alimentasse, sem agregar, a fome que sinto

    Que sinto de ser, de saber, já que não posso ter.

     

    Se do alto de sua amplitude, com sua luz esplendorosa

    Sei que faço uso da redundância

    Mas, se do alto de sua amplitude, com sua luz esplendorosa

    Dotada de vil magnificência, existes

    Ilumina-te, aumenta-te, levanta-te sobre mesquinhas construções.

     

    Mostra-me quão grande és que

    possa enxergar além do céu que tu te banhas

    Além da luz que tu emana, de tudo que sobrepõe-se

    Não quero refutar-me a ti, já que és mais de mim

     

    Mas que imaginei ao te ver do céu

    Todavia, hoje estou no chão, hoje estou na mão

    Na mão à própria sorte, não temo mais a morte

    A morte é morrer vivo. Hoje, apenas, vivo.

     

    Peço desculpas à seu brilho, imponência e majestade

    Mas rainha, mãe das construções,

    De tão bela que és dá medo de olhar-te

    Aceite então o meu pedido de desculpas por estar tão abaixo

    Já que a ti, não irei mais refutar-me.

     

    Ia postar sobre o aniversário do Pollack, tinha outras idéias, mas vi essa foto da Catedral de Orvieto – Itália e ela me levou a escrever.

     

    Muito bonita!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 17:21
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    26/01/2009

    A música tocou

    A música tocou

     

    Dei um breve tchau, o sorriso estava estampado e largo. Era uma despedida rápida com sabor de reencontro. Despedidas nunca foram meu forte, não reajo bem à idéia de perder algo. Por definição de dicionário, despedida é um término, mas eu já decidi que não.

     

    Antes eu comandava tudo, eu jogava os dados, mesmo que fosse apenas no meu mundo. Hoje eu me jogo no mundo, os dados estão guardados, eu deixei de tentar ter o controle até sobre mim, aprendi que neuras trazem rugas, eu quero ser um velho bonito!

     

    Após o sorriso, virou-se a chave do carro, o ronco do motor estava longe, eu podia sentir a respiração, mesmo de fora, talvez porque de fato eu não estivesse de fora. Quem sabe quando se está do lado de fora?

     

    A cada dia mais tenho certeza que não sabemos de nada, e talvez esse jogo de fantoches e fantasmas seja uma mística, e de cima, Deus ri daqueles que não acreditam nele, assim como eu estava rindo, e estava indo e estava vindo. Sabe-se lá de qual dimensão.

     

    Pausa para voltar ao mundo real, ultrapassei uns dois carros, a música começa a tocar no rádio. Eu não tinha parado pra prestar atenção na letra, mas algo dizia que era um impulso à vida. Ela entrava suavemente sobre minha epiderme, é estranho dizer, mas eu sentia a música em cada parte do meu corpo, sentia nos dedos dos pés, nos fios de cabelo. Me arrepiou, parecia me dizendo para despertar, e mais do que imagino: ainda tenho um mundo em minhas mãos.

     

    Então novamente sorri, e sorri de novo. Depois de entender a letra, eu pensei que era mesmo essa minha nova trilha sonora. Eu tinha um jogo nas mãos, eu planejava como queria passar meus dias, a partir do momento que errei a jogada, perdi o controle. E muitos revolucionários “já quiseram minha cabeça em suas bandejas”.

     

    Então sorri e disse a eles: “oh, quem realmente queria ser rei?”

     

    Eu só quis querer demais, agora nada mais importa, eu só quero “viver a vida” da forma que ela me traga suas surpresas e suas sacadas insanas. A vida é pregadora de peças, eu não me atrevo a impedir seus impulsos, eu não me atrevo a dizer o que não disse e não dizer o que quero. Eu apenas respeito suas vontades, respeito de coração, agora que aprendi, agora que sei, não vale a pena criar rugas. Ela é a vida. Eu? Vivo!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 15:39
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    23/01/2009

    Fazendo amigos

    Uma forma Inusitada de fazer amigos

    Galera, passou o dia do Fusca, passou a posse do Obama e eu não postei nada! Justo esses dois assuntos que vocês sempre esperam uma posição minha, visto que meu carro e a política internacional sempre me chamam muita atenção e eu sempre comento bastante.

    Essa semana eu fiquei doente, e por motivo de força maior o blog ficou jogado! Saí ontem do hospital, e ao que tudo indica já estou melhorando! Se o rio não mudar de curso, continuaremos com a nossa programação como de costume!

    Hoje - a pedidos - vou contar sobre uma aventura que vivi no ultimo fim de semana. Aventuras pra uns, tristezas pra outros, mas creio eu, que pra tudo existe um propósito!

     

    Como você faz amigos? É fácil?

     

    Ao sair da balada, já estava bem tarde, o dia dava sinais de que estava amanhecendo. Eu andava meio sonolento, mas, por conta da lei seca, eu não tinha bebido. Estava consciente.

     

    A dirigir meu fusca 1974 mega power plus advanced correndo em uma movimentada avenida no centro da cidade, percebo que um corsa preto se aproxima (correndo mais que eu) pela lateral direita. Logo à frente existia uma curva. Sei que pode parecer estranho, mas eu tenho intuições, presságios, chamem como quiser! E ao passar do meu lado, percebi que aquele carro não faria a curva.

     

    E de fato não o fez: fora impedido pelo poste que ficava na calçada. Ouve-se então um barulho muito alto e eu vi tudo, cerca de 10m à minha frente. Eu fiquei assustado, e decidi parar meu carro para ver se poderia ajudar em algo, já imaginando que alguém pudesse estar gravemente ferido.

     

     

    Estacionei meu carro. Fui em direção ao Corsa, totalmente arrebentado no poste, quando de repente para meu espanto saíram do carro o condutor e o carona. Ilesos, sem nenhum arranhão, transtornados.

     

    O motorista era o Eduardo, Dudu. Era engraçado como ele andava, eu nunca tinha visto alguém assim: um paço pra frente, três pra traz e às vezes umas jogadas de lado tipo cambaleia-mais-não-cai. Logo após verem o estrago, para um táxi e descem os passageiros (mais gente solidária).

     

    O nome da recém chegada: Priscila.

     

    - O que houve? - indagou a Priscila

    - Eles não fizeram a curva - respondi

    - Como é o nome dele?

    - Não sei!! - Respondi

    - Como não? - perguntou ela com cara de espanto

    - Eu não estava com eles.

     

    Ela pensou que eu estava com eles, depois de entendida a bagunça, tinham 4 pessoas pra ajudar e duas a serem ajudadas. Estávamos eu, Priscila, a amiga dela e o taxista.

     

    O 'Dudu' era o motorista, mas o carro era do seu irmão e ele não sabia qual era a seguradora. Ele tentou ligar para a casa dele do celular da Priscila, mas ele também não conseguia lembrar o número. Relembrando, parece ficar engraçado, mas no dia foi bem trash.

     

    Depois de muita água que rolou por essa ponte (eita que rolou água pra caramba, se não fosse a Pri consolar os marmanjos) acabou tudo bem.

     

    Na verdade, eu e Priscila acabamos descobrindo que somos meio doidos e que qualquer situação é uma oportunidade para se fazer amigos. E de fato foi! Combinei de ver a Priscila domingo a noite (dia seguinte) fomos ao shopping com mais uns amigos meus. Esse fim de semana tem churrasco na casa do Lucas (o garoto que estava com o Dudu) e toda a galera vai se ver de novo.

     

    Devemos levar a sério pessoas que fazem amigos em batidas de carro altas horas da madruga - bêbados? Não, não devemos mesmo! A verdade que como bons oportunistas que somos, não é apenas em acidentes que fazemos amigos, não se espante se nos verem em velórios querendo combinar algo pra mais tarde!

     

    Enfim, tem uma música pra semana, pro "grupo do bode" (desculpem pessoal, tive que intitular vocês assim!).

     

    Que bom que o Saturno já retornou! E que os anjos venham saudar a vocês também!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 10:59
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    15/01/2009

    Dia dos Adultos

    15 de Janeiro: dia dos adultos

     

    Não vou fazer filosofia de boteco, por outro lado, boteco é lugar pra adultos, e se hoje é dia dos adultos, nada melhor que um lugar de gente grande para conversarmos sobre.

     

    Primeiramente puxe sua cadeira e me diga o que faz de você um adulto para que possa adentrar esse ambiente. Garçom, trás dois chop's, por favor!

     

     

    - Eu ouvi dizer que adultos são aqueles que já atingiram a maioridade, ou talvez aqueles que se tornaram independentes de seus pais. Mas há quem fale que adultos são aqueles que são capazes de regerem suas vidas conforme seus próprios valores e tomar decisões.

     

    Ele estava entusiasmado, eu ouvia atentamente o seu discurso de recém adulto, digo isso porque durante toda vida você será um recém adulto. Talvez alguém possa discordar disso, e alegar que a velhice é um próximo estágio de adulto, contudo, os velhos nada mais são do que crianças "adultalizadas" e cansadas de viver a fase adulta.

     

    - Me sinto forte como nunca! Comprei um carro, sai da casa dos meus pais, estou contente! Sustento-me, tenho a vida que sempre quis e de quebra, faço tudo que eu quero.

     

    Ser adulto creio eu, não é fazer apenas o que quer e sim, fazer o que nos é permitido, haja visto que vivemos em uma sociedade e as regras são impostas externamente.

     

    Ouve-se então um barulho no bar, eram os tilintares dos talheres caindo ao chão junto com o prato e uma caneca de chop. Estávamos há mais de cinco horas no bar e ele não parou de beber. O motivo? Ele era adulto, mas não sabia tomar decisões, e naquele dia soube que estava sendo traído pela esposa. Apesar desse choque, ele também não soube parar de beber e embriagou-se.

     

    Ele deixou de ser adulto por algumas horas, ele não sabia agir e muito menos reagir. Confesso que ela não foi adulta, ao cadastrar-se em sites de relacionamento estando em um relacionamento. Eu acho que quem já tem um relacionamento não deve procurar outro, mas quem disse que pra ser adulto tem que ter respeito?

     

     

    Não tem mesmo! E hoje em dia isso é muito comum. Eu sabia desse cadastro dela, mas nunca falei nada, o engraçado é que ela não gostava muito de mim, mas veja só! Denegria minha imagem e ela procurava o que não tinha perdido.

     

    Tratamos de arrumar a bagunça, iríamos de taxi, não é adulto dirigir bêbado.

     

    Desculpem leitores, não existe "fase" adulta, enganei a todos vocês e isso é mais um indício de que nunca deixamos de ser crianças. Na verdade temos picos de adultos, mas sempre existe um lado infantil que teima em aparecer!

     

    Um feliz dia dos adultos, e não deixe que morra em você a criança que existe ai dentro!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 14:35
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    12/01/2009

    A vida em cenas

     Muito tempo sem postar aqui galera

     

     

    Tive um tempo de recolhimento, como fazem as lagartas pra virarem borboletas. Não que eu vá virar uma borboleta, mas decidi voar, o que uma lagarta não consegue.

     

    Tinha tantos assuntos que eu gostaria de postar, mas hoje vou falar algumas coisas de um bate-papo que tive com a minha mãe - mulher muito sábia essa - que me disse algumas coisas que me levaram a refletir e até filosofar.

    Às vezes me pergunto se a faculdade que minha mãe se formou é mesmo normal, ela tem uns lados meio filosóficos, antropólogos, no mínimo estranhos!

    Ela me contava sobre pessoas e sobre mundo. Ela me disse que existem pessoas que em determinado momento de suas vidas têm que sair de cena. Apesar do tamanho do mundo, dependendo de como a pessoa toca sua vida, uma hora ela fica sem espaço no mundo e ela tem que sair de cena. Ela não faz diferença alguma no mundo, em nenhuma cadeia, em nenhuma sociedade, ela é apenas um ponto nulo no meio de tudo isso.

    E isso é pesado.

     

    É pesado ver que pessoas, com 15, 20, 50, sabe se lá quantos anos, tem que sair de cena por mais jovens que sejam. A única saída delas é fechar as cortinas do palco e dar tchau a todo um teatro sem sucesso.

     

    Confuso? Não. Existem pessoas que chegam aos 20, não diferente de algumas aos 50, que não tem nada construído, nenhuma perspectiva de vida. Na verdade essas pessoas têm todo um histórico de culpa (salvas as exceções), que levaram suas vidas sem se preocupar em consolidar nada. Não fizeram nada! Não somaram nada! Não são nada e o mundo pede: acabou, aqui não tem mais espaço!

     

    Enfim, estou voando mais, precisei apanhar um pouco para crescer, tentar mudar, e isso não é fácil, não significa que hoje sou a melhor pessoa do mundo. Mas que aprendi a controlar os meus impulsos, a olhar a vida como um plano, e fixar esses olhares no horizonte. É assim que funciona todo esse ciclo: crescimento, crescimento e crescimento.

     

    Sei que após esse tempo de recolhimento estou mais feliz comigo mesmo, algumas coisas foram repensadas e decidi que não quero ser um ponto nulo, logo, tenho muito trabalho pela frente, e um dia deixarei minha marca para que se lembrem de quem eu fui.

     

    Extras

    Parabéns à Bianca Gouvêa (minha irmã)!!

    Ingressante do curso de Medicina pela UNIGRANRIO

    1ª colocada no vestibular de Fisioterapia da PUC.

    Estamos orgulhosos de você!

     

    Rafa: são fases... to contigo!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 15:15
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    16/12/2008

    Fim de Ano

    Com a Proximidade do final de ano

    Estamos bem próximos do Natal, e o 2009 já vem dar o ar de sua graça.

     

    Poderia por pra tocar a musica da Simoni te perguntando o que você fez e blábláblá. Hora de fazer um balanço geral, ver o que aconteceu no ano todo, quem sabe rolar uma retrospectiva e após a soma ver o resultado de tudo isso: o saldo.

     

    Tenho em mente um plano cartesiano com saldo de pelo menos os últimos anos da minha vida, desde que conquistei minha independência. O legal é que ano após ano, sinto que o saldo é sempre positivo e que a parábola parece não parar de subir, bom é que não enfrentei crises com direito a recessão e tudo mais! Geralmente o aumento com relação aos outros anos é sempre significativo.

     

    Dentre conquistas e realizações tive um ano muito bom, com uma curva de nível não tão acentuada como de 2007/2008, mas sem déficit, que é o que importa! Fizeram grande parte de tudo isso muitos amigos, o trabalho (acreditem! Trabalhar é bom!! Tive muitas realizações profissionais esse ano), a faculdade e etc etc.

     

    Foi um ano bem conturbado, com muitas coisas novas, tive que aprender coisas na marra, acho que isso foi o "x" que pesou para não entrar em déficit. Errei bastante, mas o legal de tudo é quando agente consegue enxergar que de uma forma ou de outra, passa a se policiar mais. Cresci muito, meus horizontes se ampliaram e mudei bastante, já não me comparo comigo de um ano atrás. Aprendi que na vida devemos ser mais tolerantes, já não me preocupo com o que pensam de mim, sobre calúnias eu não me importo, quem pensa de mim o que quer é porque não me conhece e dá ouvidos a quem não me quer bem logo, não merece meus fios de cabelo brancos (acreditem, alguns insistem em dar o "ar da graça" e não são poucos!)

     

    Que caminhemos todos ao melhor desenvolvimento da espécie, à melhora das relações sociais e ao amor mútuo. Que saibamos que o perdão é a melhor das sensações, que a violência só gera violência e que os amigos são o tesouro mais precioso, que mesmo distantes estão sempre perto de nós. O que importa são as lembranças, mesmo que somente você se lembre.

     

    Enfim, dentre conquistas e tudo mais, estamos aí! Que venha 2009 e que seja cheio de alegria porque o fim está próximo!!

     


    Escrito por Fabio Gouvêa às 16:01
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    11/12/2008

    Dia do Arquiteto!

     Dia do Arquiteto!

    Depois de dias turbulentos, corre-corre, aproxima-se o fim de ano, e com ele: agenda toda apertada, como sempre, só para não perdermos o costume. É assim com todo mundo, eu aposto!!

     

    Contudo, graças ao bom Deus os dias bons também chegam. Terça-feira pude compartilhar alegria com as crianças de um orfanato da cidade, dar a elas um pouco de amor, mostrar a elas que a vida é dura mesmo com agente, mas que sempre vale a pena um sorriso e um abraço!

     

    São coisas mágicas: o sorriso e o abraço. Vale a pena, e não custa nada!!

     

    Me encantei com elas, me emocionei a cada abraço apertado que me davam, e olhavam para cima quando iam falar com o "tio" aqui. São sensações que jamais vou esquecer. Eu tenho tudo, e eles só precisam de um abraço, só precisavam que eu dissesse que o nome deles era bonito, que o vestidinho era legal, ou quem sabe, ajudar àqueles que não conseguiam cortar o bife!

     

    Foi pesado, foi bonito, não vou me esquecer do ônibus deles indo embora, todos na janela acenando e agradecendo energicamente pelo par de sapatos, conjunto de roupa, o brinquedinho e as guloseimas que conseguimos dar a eles. E nós não contentes, reclamamos por tudo!

     

    Levei um tombo, e eles me ensinaram a não reclamar, a não pensar nas coisas tristes, e lembrar somente daquilo que nos faz feliz. Sabia que a semana pesada que tive não ia ser por acaso! O que são os pneus do meu carro para quem não tem uma família? Carinho? Não tem uma meia? E fica extremamente feliz com isso!

     

    Doe carinho, doe amor, que não sejamos mesquinhos de demonstrações de afeto!

     

    Enfim, hoje eu ia falar sobre o dia do arquiteto! Vou postar o vídeo, vejam! É exatamente o que passamos! A todos os amigos estudantes: venceremos porque somos doidos, porque somos poucos, mas nos amamos!!

     

    Venceremos porque somos o curso mais unido que existe, porque formamos uma família, porque ligamos uns pros outros 4h da manhã pra saber qual é o tamanho do pé direito de um projeto, e sabemos que o outro estará acordado pra nos ajudar!!

     

    Enfim, ser estudante de arquitetura é exatamente como retrata o vídeo abaixo, não deixem de conferir!!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 15:56
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    04/12/2008

    Merda Pouca!

    Merda pouca? Bobagem!

    Caríssimos leitores, o assunto de hoje é merda. Perdoem a falta de classe com a qual abordo o assunto, mas diga-se de passagem, merda é merda e não vamos enrolar!

     

    Em outrora já escrevi sobre as Leis de Murphy, mas nem ele sabia que merda pouca era bobagem. Tentei entender essa semana o contexto e o entorno em que eu estava inserido para saber o porque de tanta merda junta! Apesar de minha perspicaz inteligência, não obtive sucesso nesse processo!

    Enfim, também dizem que depois da tempestade vem a Bonanza  (do casteliano, em português bonança) e de fato ela vem!

    Depois de uma semana bem atribulada ela chegou pra mim! Depois de ter os dois pneus do meu carro furados em uma única semana - dias alternados - provas maçantes, entrega de trabalhos gigantescos, problemas de percurso, stress agudo, 4 noites sem dormir e mais problemas fuscalísticos (prov. de Fusca) acordar 9h30 da manhã quando seu expediente se inicia as 8h.

    Deu pra sentir? Não! Não deu meesmo!! Enfim, hoje, apesar de ter acordado um pouquinho atrasado me sinto novo, é ultimo dia de provas e o pessoal da facu já combinou o "beber cair e levantar" para comemorar as tão esperadas Férias!

    Cheguei a pensar que essa semana eu seria o primeiro Ser Humano que fosse presenciar um caso de vaca voadora, em que ela pousasse sobre minha cabeça e depositasse seus restos fecais! Ainda não me ocorreu!

    Pois eu vou! Digo, nós vamos! Acho que merda pouca é bobagem, logo, depois de muita merda a galera vai fazer muita farra e as férias estão só começando!!

    O conselho de hoje aos queridos leitores é não deixar-se entibiar com as merdas que surgem no percurso, visto que quando vem, é uma atrás da outra!

    O bom de tudo isso é que com tanta merda, tanta correria, não dá pra pensar em bobeiras e idiotices que às vezes agente aumenta o tamanho da importância delas!

    O "Q" da vida é sentir todos os sabores, viver todas as aventuras e curtir todo momento

    "Já não me preocupo se eu não sei porque"

    Vamos seguindo, que venham as merdas, digo, as Férias! (não façam merdas!)

    Desculpem a formatação, meu editor de mensagens também resolveu dar pau hoje!


    Escrito por Fabio Gouvêa às 15:20
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]